Agroquímicos

A Oxiteno investe em Crop Solutions por meio de inovações em agroquímicos para o campo e tem como inspiração própria natureza. Já reparou que, para uma planta nascer, a terra colabora com a semente, a água colabora com a terra? No campo é assim: a interação e a colaboração favorecem a prosperidade de todos.

Todo o investimento em tecnologia aplicada realizado pela Oxiteno posiciona a empresa como referência em estudos de desenvolvimento e aplicação de agroquímicos, além de permitir uma ampliação constante do portfólio e o aprimoramento dos sistemas de entrega no campo. 

Além disso, atuamos lado a lado com nossos clientes e parceiros investindo no desenvolvimento de soluções inovadoras, personalizadas e que respondam aos seus desafios. Para isso, aumentamos a produtividade em todos os campos e contribuímos para o crescimento do agronegócio no Brasil, um mercado que transformou o país em líder mundial na produção e exportação de cana de açúcar, café, soja, laranja e carne bovina.

A expertise e know-how adquiridos com estudos, pesquisas e aplicações estão disponíveis para os clientes e parceiros que buscam suporte técnico personalizado. O compromisso e contribuição da Oxiteno com o futuro do agronegócio é desenvolver, através de parcerias e colaboração, soluções que inovam e contribuem com o manejo sustentável do campo.

 

Crop Solutions em agroquímicos da Oxiteno

 

Crop Protection é uma das Crop Solutions em agroquímicos da Oxiteno

Buscamos a excelência em tecnologia e no desenvolvimento de aditivos que maximizem o desempenho de ingredientes ativos no campo. O amplo portfólio de produtos e soluções da Oxiteno inclui emulsionantes, agentes molhantes, dispersantes e solventes que foram desenvolvidos para atender o desafio de nossos clientes em trazer aos agricultores formulações mais eficazes, seguras e completas.

Toda vez que um ingrediente ativo é combinado com nossa experiência de formulação, novas possibilidades de inovações são criadas. Trabalhando em parceria com nossos clientes, desenvolvemos formulações únicas e personalizadas, as quais garantem ao produtor as melhores ferramentas para o aumento de produtividade e rentabilidade de suas culturas.

Para complementar seu portfólio, a Oxiteno está focada na entrega de:

  • Soluções inovadoras para todos os tipos de formulação
  • Soluções com pouca irritação ocular e baixa ecotoxicidade
  • Formulações com cargas superiores de ativos
  • Compatibilidade para soluções com mistura dupla e tripla de ativos
  • Baixa espuma

 

Dentre os Crop Solutions em agroquímicos da Oxiteno está o Tank Mix Adjuvants

Desenvolvemos um portfólio amplo de adjuvantes usados em inseticidas e herbicidas. Os componentes e soluções criados pela Oxiteno são adicionados ao tanque de pulverização pelo agricultor para garantir a eficácia da aplicação de herbicidas, fungicidas e principais tipos de inseticidas agrícolas. O objetivo é otimizar e aumentar o sucesso da aplicação de agroquímicos no campo.

Os adjuvantes agrícolas são responsáveis por modificar as propriedades da solução que será aplicada no campo e oferecem diferentes características e vantagens. A escolha do adjuvante é realizada pelo agricultor de acordo com os benefícios esperados e as características dos ativos a serem aplicados.

O portfólio da Oxiteno inclui produtos que podem ser utilizados para melhorar o desempenho da aplicação através do aumento de adesão, retenção e espalhabilidade, bem como aumento da penetração e a retenção dos ativos pelos alvos.

Estamos focados no desenvolvimento de adjuvantes agrícolas que atuem como:

  • Adjuvantes base óleo
  • Surfactantes não-iônicos (NIS)
  • Espalhantes adesivos
  • Redução de controle de deriva
  • Compatibilizantes de calda
  • Acidificantes e “buffers”

 

Crop Enhancement como uma das Crop Solutions em agroquímicos da Oxiteno

O objetivo da Oxiteno é desenvolver tecnologias que permitam aos agricultores manter a saúde do solo, obter o melhor desempenho das aplicações de fertilizantes e nutrientes, maximizar a eficácia da irrigação e aumentar a tolerância ao estresse abiótico.

Com uma formulação otimizada, nossos clientes podem oferecer maior produtividade aos agricultores em cada aplicação.

As tecnologias que oferecemos para o mercado de Crop Enhancers visam aumentar a performance de:

  • Fertilizantes especiais líquidos e sólidos
  • Surfactantes não-iônicos e condicionadores de solo
  • Adjuvantes e aditivos de irrigação

 

Biosolutions da Oxiteno estão dentre as Crop Solutions em agroquímicos da empresa

A Oxiteno está comprometida com o desenvolvimento de soluções únicas e personalizadas, que visam aumentar a atividade, a eficácia e a estabilidade das formulações biológicas.

Compreendendo que em um ambiente cada vez mais desafiador, os agricultores precisam de ferramentas de manejo completas para atingir o máximo desempenho de suas lavouras, criamos tecnologias que permitem aos nossos clientes explorar os benefícios de uma solução personalizada da Oxiteno para cada ingrediente ativo.

Nossos desenvolvimentos estão focados em:

  • Formulações para biopesticidas desenvolvidas em cocriação a partir das necessidades de nossos clientes
  • Aditivos para tratamentos de sementes com ativos biológicos
  • Formulantes e adjuvantes agrícolas para bioestimulantes

 

Principais produtos dentre as Crop Solutions da Oxiteno para agroquímicos

SURFOM® DRT 8575: adjuvante antideriva

O controle da deriva em aplicações por pulverização é um dos principais fatores para garantir a eficácia do produto na lavoura.  A deriva acontece quando gotas ou partículas do composto são arrastadas pelo ar e não atingem o alvo da aplicação. O fenômeno pode ter impactos na saúde e no ambiente, além de causar prejuízos financeiros.

A distribuição do tamanho das gotas é um dos fatores que mais influenciam na deriva, já que gotas com diâmetro menor que 200µm são desviadas mais frequentemente de seu alvo, por serem mais leves.

O SURFOM® DRT 8575 conta com a tecnologia antideriva desenvolvida pela Oxiteno, a qual garante melhores resultados na aplicação. O produto atua na redução da formação de gotas finas, as quais estão mais sujeitas a serem carregadas pelo vento durante a aplicação.

Pulverização com gotas de tamanho adequado e com maior uniformidade não apenas reduz a deriva, como também garante a qualidade da aplicação através de melhor espalhamento, penetração e cobertura da área.

Benefícios do SURFOM® DRT 8575:

  • Redução de gotas finas e deriváveis
  • Maior uniformidade no tamanho das gotas
  • Maior velocidade da gota
  • Tecnologia livre de polímeros
  • Livre de nonilfenol etoxilado
  • Bio Eficácia comprovada na aplicação de herbicidas
  • Molhabilidade, retenção e absorção melhoradas

Aqui você confere um conteúdo completo sobre o papel dos adjuvantes agrícolas para o aumento da produtividade no campo.

 

SURFOM® ADJ 8860: Adjuvante espalhante adesivo

Em aplicações foliares, a molhabilidade da superfície da folha é determinante para o sucesso do processo. Isso porque a retenção, espalhabilidade e posterior absorção do princípio ativo se dá a partir da deposição das gotas nas folhas.

A adesão dessas gotas à superfície, entretanto, não é tão simples: a fina cutícula que recobre a superfície foliar possui característica hidrofóbica, a qual ajuda a repelir a água. Aliado a esse fator, a tensão superficial de soluções aquosas torna a adesão ainda mais desafiadora.

A atuação do SURFOM® ADJ 8860 responde a esse desafio. A tecnologia reduz a tensão superficial estática e dinâmica da água e pode ser combinada com ingredientes ativos de ação sistêmica e de contato, pois ela maximiza a cobertura da superfície na aplicação.

O grande diferencial da tecnologia frente aos compostos utilizados comumente para reduzir a tensão superficial é a flexibilidade à variação de pH e composição da calda de aplicação. A performance do produto se mostrou estável frente até a diferenças extremas de acidez.

Conheça os benefícios do SURFOM® ADJ 8860:

  • Uniformidade na aplicação e distribuição efetiva do ingrediente ativo
  • Alta compatibilidade com as caldas de aplicação
  • Melhor performance de ingredientes ativos sistêmicos e por contato
  • Maior cobertura foliar
  • Retenção comprovada
  • Alta compatibilidade com outros elementos da calda, como fertilizantes foliares

 

Da síntese ao campo: conheça o processo da Oxiteno

A Oxiteno desenvolve suas soluções por meio do relacionamento próximo com seus clientes e parceiros tecnológicos, lançando mão de expertise técnica, capabilities e excelência operacional.

Para que um defensivo agrícola seja aplicado com segurança nas lavouras, apresente performances superiores e contribua para uma maior produtividade, percorremos, juntos, diversas etapas de pesquisa e testes.

Durante todo o processo, contamos com uma estrutura robusta de laboratórios e uma equipe de experts em agroquímicos, com profundo conhecimento técnico, científico e prático.

Nosso Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), localizado em Mauá, São Paulo, foi recentemente expandido. O local possui equipamentos e infraestrutura que nos permitem explorar o desenvolvimento de um novo produto desde a síntese até o campo.

 

Diferencial da Oxiteno: atenção a cada fase

Mais do que um fornecedor de aditivos agroquímicos, atuamos como parceiros de nossos clientes. Nosso foco está em entender os desafios e trabalhar em soluções que irão ajudá-los a se diferenciarem no mercado.

Fase 1: cocriação

Na primeira fase de desenvolvimento, nossos especialistas entendem as necessidades apresentadas pelos clientes e propõem a estrutura para algumas moléculas consideradas promissoras: os protótipos.

Isso é feito com base em dados de pesquisas científicas publicadas por acadêmicos de todo o mundo e também por ensaios anteriores.

Os protótipos são testados na bancada do laboratório e tem sua viabilidade avaliada. Uma vez aprovados nessa fase, sua produção é escalonada na Planta Piloto.

Fase 2: Planta Piloto

A Planta Piloto permite replicar as condições de produção industrial em uma escala reduzida. Dessa forma, conseguimos realizar testes com maior agilidade e consumindo uma quantidade menor de reagentes.

Nossa estrutura conta com nove reatores multipropósito e outros equipamentos para a síntese das moléculas pretendidas. Na Planta Piloto temos capacidade para produção de compostos etoxilados, propoxilados, copolímeros de bloco, bem como realização de reações de esterificação e polimerização.

Uma vez que a síntese das moléculas se mostra viável na escala da Planta Piloto, elas podem seguir para a etapa seguinte: os testes de formulação.

A Planta Piloto da Oxiteno permite que testes iniciais das Crop Solutions para agroquímicos sejam realizados

 

Fase 3: testes de formulação

Assim como existem diversos formatos para a aplicação de um medicamento – comprimidos, xaropes, pomadas, injetáveis, entre outros – os ativos de um agroquímico precisam ser transformados, através de formulações, em formas apropriadas ao uso. Para que um defensivo atinja a performance desejada na lavoura, ele deve ser aplicado de forma adequada e compatível com as suas características.

A Oxiteno desenvolve formulantes, co-formulantes, solventes e surfactantes não-iônicos para formulações agro. Durante a etapa de desenvolvimento, o comportamento dos ingredientes ativos é estudado.

A partir dessas propriedades, é determinado o tipo de formulação mais adequada e, consequentemente, quais agentes formulantes serão necessários. A fórmula ideal deve garantir que o ativo esteja estável e disponível biologicamente para desempenhar seu papel no campo. O balanço entre ativo, surfactantes, solventes e outros inertes assegura a precisão e a eficácia da aplicação.

A escolha por um determinado tipo de formulação depende de diversos fatores, entre eles as característica físico-químicas do ativo e a eficiência biológica dele. Além disso, a Oxiteno possui equipamentos e estrutura para o desenvolvimento de formulações líquidas e sólidas.

Equipamentos como o moinho são utilizados para formulações em que os ativos não são solúveis em água ou outro solvente, como no caso das suspensões concentradas. Ele minimiza o tamanho das partículas do composto e ajuda em sua dispersão. Quanto maior a potência do moinho, maior a eficácia em reduzir as dimensões do material particulado.

A utilização do moinho é fundamental para a formulação dos ativos das Crop Solutions para agroquímicos

Existem ainda as formulações sólidas, como o WG (grânulo solúvel em água). Nesta formulação, uma mistura de produtos majoritariamente sólidos é submetida à extrusão, um processo que converte a “massa” em grânulos.

As combinações geradas durante o processo de desenvolvimento da formulação são finalmente testadas para garantir que se solubilizarão de maneira adequada, atendendo todos os aos requisitos de aplicação e de performance desejados.

 

Laboratórios da Oxiteno

Laboratório físico-químico

A natureza desenhou, sob medida, os ângulos, ranhuras e imperfeições das folhas. É desta forma que a gota da chuva desliza pela superfície da folha e cai no solo, de onde é absorvida pelas raízes.

Mas, no campo, a aplicação eficiente dos insumos e defensivos requer fixação às folhas ou outras estruturas da planta e do solo, dependendo do alvo e mecanismo de ação do princípio ativo. 

Esta é uma das razões da importância das pesquisas realizadas no laboratório físico-químico da Oxiteno: avaliar com precisão a composição de formulações para adequá-las ao modo, alvo e dose correta do produto, garantindo a segurança e eficácia da aplicação.

A busca pela melhor combinação entre tamanho e concentração ideais das gotas pulverizadas faz parte do dia a dia dos pesquisadores da Oxiteno. E não é só isso. Qual a composição adequada para que os formulantes, co-formulantes, solventes e surfactantes assegurem precisão, eficácia e mais segurança na aplicação? Qual o ângulo de contato que permite a cobertura mais completa e com maior rendimento?

É para encontrar respostas a essas e outras perguntas que os especialistas em agroquímicos da Oxiteno pesquisam, desenvolvem e testam soluções no laboratório físico-químico da empresa.

O laboratório conta com equipamentos de alta tecnologia e precisão para a realização de análises de fenômenos físicos e químicos que contribuem com o sucesso dos clientes e parceiros. A estrutura permite o desenvolvimento de soluções otimizadas e únicas, que irão garantir a performance dos produtos aplicados e o sucesso da safra ao agricultor.

O Reômetro, por exemplo, é usado para medir a maneira pela qual um líquido ou suspensão flui de acordo com a sua viscosidade, elasticidade e outras propriedades de escoamento. Isso permite que os pesquisadores da Oxiteno determinem, diante das necessidades apresentadas por clientes e parceiros, o melhor manuseio de uma solução quanto à aplicação ou mesmo à facilidade com que o produto será transferido entre tanques.

O Mastersizer, por sua vez, analisa o tamanho das partículas por difração laser. Com ele, o tamanho de uma partícula pode ver verificado em escala nanométrica ou micrométrica, para que assim as formulações sejam melhor desenvolvidas, otimizando o resultado de acordo com o tipo de formulação e mecanismo de ação do produto e o alvo. 

O monitoramento do tamanho das partículas em suspensão é importante para determinar a qualidade e o tempo de prateleira de uma formulação, afinal, a distribuição uniforme na fórmula, e posteriormente no tanque, é um dos principais requisitos para a estabilidade e eficácia da aplicação. 

A estabilização das partículas evita a formação de aglomerados e o entupimento dos bicos dos aplicadores, permitindo tranquilidade na operação e uniformidade no controle de daninhas, doenças e pragas em todos os talhões da lavoura.

Para prever como uma solução vai se comportar ao longo do tempo, utilizamos o equipamento LUMiSizer. Essa centrífuga analítica verifica a estabilidade do produto e sua dispersão ao submeter as amostras à aceleração. Isso permite analisar se o produto mantém suas características primárias e essenciais ao escopo da solução estáveis, mesmo após um longo período até a utilização de forma rápida e ágil.

Para analisar o comportamento da formulação durante a aplicação são realizados ensaios que mensuram a tensão superficial da mistura e estudam os ângulos de aplicação, permitindo a seleção da melhor combinação entre produto, aplicação e alvo quanto ao ângulo de contato. 

O Tensiômetro de gota, por exemplo, avalia o tamanho, peso, tensão superficial, espalhabilidade e adesão ao alvo. Dessa forma, é possível otimizar a calda de aplicação para que o produto a tenha o máximo rendimento.

Já o Tensiômetro de bolha é usado para mensurar tensões superficiais dinâmicas, semelhantes às que acontecem no bico de aplicação, além de tempos de migração dos tensoativos, adsorção e de vida das bolhas. Com este recurso a aplicação se torna muito mais eficaz e economicamente eficiente, minimizando os riscos de dispersão indevida do produto e falhas de controle na área aplicada.

Laboratório analítico

Vestindo jalecos brancos e com olhar compenetrado, os profissionais da Oxiteno operam equipamentos pouco comuns e usam técnicas variadas, como cromatografia, espectroscopia, titulação, entre outras. 

Em um ambiente climatizado, extremamente limpo e muito organizado, os especialistas do Laboratório Analítico do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Oxiteno se desafiam diariamente em busca da melhor solução e da constante eficácia dos produtos utilizados na proteção de cultivos.

É no laboratório analítico que os produtos sintetizados na planta piloto e testados no laboratório físico-químico passam por mais uma série de experimentos. Cada etapa deste processo recebe toda a atenção necessária, assegurando segurança e qualidade desde a síntese até o campo.

Um exemplo são os testes de compatibilidade de embalagem. Esta é uma das responsabilidades do laboratório analítico, que também realiza toda a análise dos produtos em desenvolvimento, como o nível de acidez, basicidade e sua exata composição química.

São estudos diversos, precisos e complexos com o objetivo final de obter a certificação do produto, garantir a qualidade e a segurança do processo, além do escalonamento da produção. 

A eficácia de um defensivo agrícola depende destas análises de caracterização, especificação e controle de sua formulação. São elas que determinam se o produto vai, de fato, cumprir com excelência a sua função no campo.

Laboratório de aplicação

Desde a síntese dos componentes da formulação, até a sua chegada ao campo, os defensivos agrícolas passam por uma série de ensaios para garantir a sua qualidade, eficácia e segurança. Em uma primeira etapa, são feitos os testes de bancada e, em seguida, testes que simulam situações reais da aplicação do produto.

O Laboratório de Aplicação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Oxiteno dispõe de diversos equipamentos que reproduzem as condições de aplicação. Dessa forma, os pesquisadores conseguem avaliar o comportamento da formulação em uma escala muito menor e com grande agilidade.

Os resultados permitem que os formuladores façam correções ou melhorias para que o defensivo agrícola chegue ao campo de forma segura ao homem e ao meio ambiente.

O alto investimento da Oxiteno no desenvolvimento e aperfeiçoamento de pesquisas, em profissionais altamente qualificados e em equipamentos de ponta coloca o seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento como o mais completo e diferenciado da região.

A “câmara de crescimento”, por exemplo, é como uma estufa, onde são cultivadas algumas espécies de plantas para os ensaios de aplicação. Nela, os pesquisadores também testam a estabilidade dos produtos após a aplicação, expondo-os à diferentes níveis de luminosidade, temperatura e umidade, alterando ciclos de dia e noite.

A boa performance dos defensivos no campo ainda é assegurada pelo “teste de fitotoxicidade”, que consiste em verificar que a formulação não causa injúrias às folhas do cultivo. É neste momento que os pesquisadores observam qualquer desvio de padrão e necessidade de correção.

Destaque do laboratório de aplicação, a “spray chamber” ou “câmera de pulverização” é um equipamento diferenciado no mercado. Nele é possível regular a velocidade, a pressão e o tempo dos jatos, simulando de forma fiel a pulverização do defensivo sobre o cultivo. 

A “spray chamber” também permite realizar a análise da resistência do produto à chuva, ou seja, sua capacidade de se fixar e de permanecer nas folhas mesmo após elas serem “lavadas” pela água da chuva.

Todos esses processos garantem que a formulação final do produto tenha suas propriedades mantidas independentemente da extensão da aplicação, possibilitando a mesma eficiência de resultado em toda a plantação.

Estruturas especializadas e equipamentos de ponta são necessários ao longo de todo o processo de desenvolvimento de uma formulação para a agricultura.

Desde a síntese, passando pelas análises físicas, químicas e analíticas, os testes de compatibilidade da formulação e ensaios práticos de aplicação, até a sua chegada ao campo, a Oxiteno garante aos seus clientes excelência na qualidade, alta eficiência e segurança dos produtos.