O papel dos lubrificantes no processo de perfuração de poços de petróleo para ganho de agilidade e produtividade

A indústria de petróleo e gás é colossal pelo volume de recursos e pessoas envolvidas, direta e indiretamente, na movimentação de sua estrutura em todo o mundo. Apesar da sua maturidade, as mudanças regulatórias e as exigências por produtos mais sustentáveis trazem inovações constantes. Essa indústria sempre se superou e está avançando ainda mais forte, de forma tecnológica e produtiva.

O tempo dirá com exatidão quais os impactos sofridos no ano de 2020, um dos mais atípicos da história da humanidade. Tempo, aliás, que é fundamental para essa indústria, pois o ganho de agilidade nos processos representa uma grande economia em toda a sua cadeia produtiva, em especial durante a exploração e perfuração de poços, seja onshore ou offshore. 

Mesmo em condições extremas, incluindo altas e baixas temperaturas, alta pressão e salinidade, o processo de extração de petróleo exige respostas precisas, confiáveis e ágeis dos fornecedores. Neste contexto, uma química de precisão é fundamental em uma das etapas críticas desta exploração: a perfuração dos poços.

Durante esta etapa de perfuração, há uma força extrema de atrito entre a broca e as camadas de rochas. Em caso de perfuração com fluidos a base de água, é preciso lubrificar constante e corretamente. Os lubrificantes são importantes aditivos utilizados nestes fluidos de perfuração para garantir a integridade da broca e reduzir a fricção de forma a alcançar maiores velocidades de penetração. A química está presente no desenvolvimento do fluído adequado para o equipamento manter os movimentos rotativos e velozes, que rompem as paredes rochosas em poços, principalmente os poços direcionais ou de longo alcance, onde os desafios de atrito são ainda maiores. Os fluídos corretos ainda são capazes de assegurar a estabilidade do poço, resfriar e lubrificar a broca, além de auxiliar na remoção de cascalhos.

O ULTRAFLUID® LB P 10, por exemplo, é uma das últimas inovações da Oxiteno para esta etapa de perfuração. Trata-se de um novo lubrificante que, além de entregar uma excelente performance nas mais diversas condições de aplicação, apresenta baixíssima toxicidade. 

Durante a perfuração com fluidos base água, especialmente em poços com alto grau de inclinação e poços direcionais, o alto torque entre os tubos de perfuração e a estrutura rochosa perfurada resulta em uma série de limitações e potenciais danos aos equipamentos. A redução da taxa de penetração da broca (ROP), o desgaste prematuro dos equipamentos, o risco de prisão de coluna por diferencial de pressão são alguns exemplos de problemas que refletem fortemente no tempo de operação e, consequentemente, impactam economicamente na construção do poço.

O benefício desta inovação é a sua formulação, a qual proporciona a formação de um filme conciso sobre a superfície metálica dos comandos e broca, garantindo um atrito na medida certa, e reduzindo o risco de prisão de coluna por diferencial de pressão e o desgaste desses equipamentos, ou seja, trazendo maior segurança para toda a operação. Por fim, possui alta concentração de ativos, garantindo uma excelente performance mesmo em baixa dosagem, resultando em ganhos ambientais e logísticos em todo o processo.

Portanto, o uso de lubrificantes promove o aumento da taxa de penetração da broca e, consequentemente, a redução do tempo de operação, o que impacta positivamente nos custos da operação e, consequentemente, toda sua cadeia produtiva.

Este mercado exige alternativas competitivas de alta performance que apoiam as companhias de serviço em todas as etapas da exploração, em especial durante a perfuração do poço. Os desafios de acompanhar o dinamismo desse mercado e atuar de maneira eficaz e no menor prazo possível, estimulam a Oxiteno a desenvolver um portfólio completo de lubrificantes focado em performance e sustentabilidade. Saiba mais em: https://www.oxiteno.com.br/oil-gas/.  

– Texto escrito por Polyana Medeiros de Menezes, Pesquisadora da Oxiteno.